Ser livre é não ter preconceito!

Publié le par NaraChamblay


O Núcleo de Referencia Anti-Homofobia (NRAH) da UNIFAP, em parceria com o Grupo
das Homossexuais Thildes do Amapá (GHATA) realizam no período de 17 a 23 de maio a Semana de Luta Contra a Homofobia. Os eventos acontecem no auditório da UNIFAP e na

Câmara de Vereadores de Macapá e tem como tema "ser livre é não ter preconceito!"

  

A Semana de Luta Contra Homofobia é uma realização do movimento social LGBT de Macapá, através do GHATA em parceria com o Núcleo de referência Anti-Homofobia da UNIFAP e tem como objetivo relembrar que a homossexualidade é uma expressão saudável da sexualidade humana, além de denunciar discriminações homofóbicas, é a forma de garantir o respeito à diversidade e a diferença como um valor necessário para o exercício pleno dos direitos humanos e a construção da cidadania e da paz.
 

Algum avanço significativo já tivemos, no dia 17 de maio de 1990, a Organização Mundial de Saúde (OMS) retirou a  homossexualidade do rol de doenças, o que contribuiu para fortalecer o movimento de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) que passou a considerar essa data como o Dia Mundial de Combate à Homofobia. O termo Homofobia se configura como a discriminação, aversão, ódio e diferentes formas de violências cometidas contra LGBT.

A homofobia é um dos maiores problemas sociais da contemporaneidade, segundo Borrillo (2000) é uma expressão de hostilidade contra a diversidade sexual e se caracteriza como uma manifestação arbitraria e perversa contra a diversidade sexual, causando atos violência, agressões físicas, psicológicas, assassinatos, restrições de direitos e exclusão social de pessoas pela sua orientação sexual e identidade de gênero.

Este ano, pela primeira vez em Macapá, o 17 de maio vai ser pautado através de diversas atividades educativas e políticas que objetivam: mobilização, visibilidade, fortalecimento da identidade e direitos humanos LGBT.

Portanto, convidamos todas e todos lésbicas, gays, travestis, transexuais, heterossexuais, mulheres e homens para dizer um categórico não à homofobia (
ser livre é não ter preconceito!)

 

Publié dans Projetos

Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :
Commenter cet article