Amapá, um Estado quase "francophonie"

Publié le par Nara39

Como mostra o mapa mundi acima, a lingua francesa ganha cada vez mais espaço no mundo. O francês (français) é um dos principais idiomas do mundo, e uma das mais importantes línguas românicas, com um número de falantes apenas inferior ao do espanhol e o português. Em 1999, o francês era a sexta língua mais falada do mundo, utilizada por cerca de 110 milhões de pessoas como língua mãe e por 210 milhões, se incluídos os que a falam como segunda língua. É uma das línguas oficiais ou administrativas de várias comunidades e organizações (tais como a União Européia, a União Africana, o Comitê Olímpico Internacional, as Nações Unidas e a União Postal Universal


O termo francophonie apareceu primeira vez em 1880. O geógrafo francês Onésime Reclus (1837-1916) que empregou-o para designar os espaços geográficos onde a língua francesa era falada.O francophonie (com uma minúscula inicial) designa o conjunto dos habitantes ou os grupos de pessoas que utilizam parcial ou inteiramente a língua francesa na sua vida diária ou em suas comunicações. O termo Francophonie (com uma maiuscula inicial) designa o conjunto ou governos, de países ou instâncias oficiais que têm conjuntamente o uso do francês nos seus trabalhos ou as suas trocas. Por conseguinte, fala-se de duas realidades diferentes conforme escreve-se francophonie (povos ou locutores) ou Francophonie (governos ou países).

 

A proximidade do Estado do Amapa com a Guiana Francesa tornou-se um portal de entrada dos turistas europeus para o Brasil. A cidade de Oiapoque é o primeiro contato dos turistas que chegam encantados pela nossa fauna, flora e o calor humano do povo brasileiro.

 

João Alberto Capiberibe, quando governador do Amapá , criou estratégias de integração com os países do platô das Guianas, com a clara intenção de chamar atenção de Brasília para a fronteira com a União Européia. No então governo, introduziu-se a língua francesa nas escolas do Amapá e foi criado o Centro de Língua e Cultura Francesa Danielle Mitterrand.

 


A Universidade Federal do Amapá através da Pro-Reitoria de Ações Comunitarias-PROEAC,o Pro-Reitor Professor Julio César, técnicos-Administrativos, Coordenação de Letras e em parceria com a Prefeitura de Oiapoque, iniciaram a criação de um curso de Francês para a população do municipio de Oiapoque, no campus da UNIFAP que funciona na cidade. Hoje o curso é uma realidade e ja formas alunos capazes de expressar a lingua francesa com mais confiança em seus conhecimentos.

O trabalho que desenvolviamos em Oiapoque não existiam fronteiras, estavamos presentes junto aos catraieiros, população indigena, Pescadores e a toda demanda da comunidade. Nosso prazer era o de poder universalizar o conhecimento que a UNIFAP produz para melhorar a vida de cada cidadão.

Particularmente é uma cidade que amo, pois é um povo de raça e de vontade de vencer que vive em Oiapoque. Infelizmente não tivemos tempo de cumprir com nossos objetivos propostos para comunidade, como sempre as intriguas politicas quebraram um ciclo em pleno crescimento de saber.

Hoje morando na França meu coração se encontra nessa cidade. Espero que as autoridades brasileiras consigam ajudar o povo de Oiapoque a ter uma vida melhor com educação e respeito à cidadania.

Oiapoque é o portal de entrada da Europa para o Brasil e deveria ter uma maior atenção, um dia espero poder voltar e continuar os projetos que criamos para poder dar um pouco mais de esperança para a população da cidade onde o rio encontra o mar - Oiapoque.

 

Publié dans Educação

Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :
Commenter cet article